Curso de violoncelo com Alceu Reis (Brasil)

34º Oficina de Música de Curitiba - janeiro/2016.

Alceu Reis estudou com Iberê Gomes Grosso, é bacharel em violoncelo pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, e aperfeiçoou-se com Pierre Fournier. Atua nos mais diversos setores musicais, como recitalista, camerista, solista e primeiro violoncelo-solo das orquestras do Rio de Janeiro. Integrou os Quartetos Bessler-Reis e Amazônia. Atuou com renomados artistas, como Nelson Freire, José Fegali, José C. Cocarelli, Frances Spinguel, Luis F. Benedini, Jean L. Steurmann, Olivier Bernard, Lílian Barreto, Miguel Proença, Antonio Meneses, Linda Bustani e Turibio Santos, entre outros.

Sua ampla discografia vai desde o disco em homenagem a Iberê Gomes Grosso, passando pelo Divertimento para Violoncelo Solo op. 58, de Henrique Korenchendler, premiado na 2ª Bienal de Música Contemporânea, até a gravação de cinco CDs pelos selos “Le Chant du Monde” e “Duchesne”, que incluem 17 quartetos de Villa-Lobos, Verdi, Puccini, Carlos Gomes, Gounod, as integrais para Quarteto de Lorenzo Fernandes e Cesar Franck, lançados com grande sucesso em Paris e Bruxelas. Tem recebido elogiosas críticas de revistas especializadas como “Le Monde de la Musique” e “Diapason” e, em 1988, foi considerado pelo New York Times como a melhor gravação de Quarteto do ano.

No Brasil recebeu quatro prêmios “Sharp”, como melhor disco clássico de 1990, 1991, 1992, e 1993, e o prêmio de melhor disco do ano da ACSP (Associação de Críticos de São Paulo).

34º Oficina de Música de Curitiba - janeiro/2016.

Alceu Reis foi o primeiro músico brasileiro a gravar a obra completa para quarteto de Villa-Lobos. Suas apresentações internacionais já o levaram à Colômbia, Argentina, Venezuela, EUA, Alemanha, França, Espanha, Áustria, Inglaterra, Bélgica, Holanda e Luxemburgo, entre outros países.

Integrou, como primeiro violoncelo-solo, as orquestras de Câmera da Radio Mec, de Câmera Brasileira, Sinfônica Nacional e Orquestra do Theatro Municipal do Rio de Janeiro. De 2002 a 2007, foi primeiro violoncelo da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo. Em 1986 começou a lecionar na Universidade do Rio de Janeiro (Uni-Rio), sendo frequentemente convidado a atuar como professor em festivais nacionais. Seus alunos já integram diversas orquestras profissionais, tanto no Brasil como no exterior.

Atuou, como solista, no concerto comemorativo da criação do Estado do Mato Grosso do Sul. Apresentou em primeira audição o concerto para violoncelo e orquestra de Mario Tavares, regido pelo próprio compositor. No ano de 2001, gravou com o Quarteto Amazônia e mais três discos, sendo um de músicas brasileiras (Nepomuceno,Alexandre Levi e Carlos Gomes), pela Rádio da Áustria, outro pela Nova Classic, de uma compositora croata (Dora Pejacevïc), e o terceiro pela Kuarup (Piazzola). Em 2002, o Quarteto ganhou o prêmio Grammy como melhor álbum clássico, e o prêmio Carlos Gomes. Participou de turnês pela Europa, finalizando com o Festival de Verão de Carinthischer (Áustria), com esse mesmo Quarteto.

34º Oficina de Música de Curitiba - janeiro/2016.

Neste curso foram trabalhadas questões vinculadas à técnica de execução, postura, interpretação e escolha de repertório, de acordo com o nível de conhecimento do aluno.

Fonte texto: http://www.oficinademusica.org.br/
Fotos: Gilson Camargo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s